quarta-feira, 26 de setembro de 2007

Do banheiro

Quer coisa mais intima do que o banheiro?

Foi o que ela pensou quando, branca de dor de barriga, entrou no banheiro da escola.Tinha comido um daqueles pastéis gordurosamente deliciosos na cantina e agora era isso: estava perdendo a aula de matemática pra cagar.

Ai, dor, ai, dor...

Mas fazer coco no banheiro público?E se ouvirem os puns?E se sair cheiro?Ah, nem dava mais pra pensar, foi logo entrando no amplo banheiro do segundo andar que, como era previsto, estava vazio.Todos estavam em aula.Menos ela, que estava forrando o acento do trono com milhões de papeis higiênicos.Não dá pra cagar abaixadinha!Não sou índia pra abaixar por ai!

E foi assim que se sentiu a vontade para passar por sua vida de rainha.Como queria sua casa, seu próprio banheiro e seu próprio Bom Ar.Estava sozinha, podia sentir aquelas dores borbulhantes à vontade.

Sabe quando dói mesmo sua barriga e voce se sente um copo de rexon?Fica tudo borbulhando dentro de voce e isso te provoca punzinhos bem fétidos?

Muito intimo, não acham?Pois é, não podia ser mais intimo do que ficar exposto a uma diarréia.Mas ela estava sozinha...não mais; agora ouvia a porta do banheiro se abrindo.Eram vozes conhecidas, eram meninas da sua turma.Umas três, pela voz.Ah, que vergonha.E la estava ela cagando dentro do reservado, cheia de papel higiênico no acento, com aquele fedor que nem Jesus aguenta.Duas meninas entraram no banheiro e aquela chatinha da sua turma ficou do lado de fora dos reservados.Eram três cabines e ela estava usando a ultima.Interditada pq o cheiro tava demais.E foi ai que ela ouviu:

O cheiro desse banheiro é absurdamente forte, né?
Forte nada...alguém se borrou todo por aqui!

Descobriram seu esconderijo, e o pior é que a dor ja passara, mas nao ia sair de la de dentro enquanto ouvia essas vozes.Ia sair do reservado e iam encontra-la, linda e fétida, com as maos amarelas.Quero só ver se voce iria...

Decidiu ficar no vaso, sentadinha.Mas por algum motivo, as meninas nao saiam do banheiro.Mas ela precisava dar descarga naquilo, estava fedendo muito?O mal estar voltara, mas agora era enjôo, o cheiro era fortíssimo!E o pior é que ela estava ao lado da obra de arte.Dá-se um jeito nisso!

A descarga!Mas a descarga é barulhenta, se ela puxar a cordinha, sua mascara cai de vez.Todos saberão quem está no reservado.Tudo bem, nao há problema nisso, sua reputaçao foi para a casa do caramba, entao vai a descarga...

Ela ouve mais vozes.Parecia ser a...perai...a professora de matemática, mas o que ela tava fazendo ali?ótimo, ela ouviu seu nome saindo da boca da professora.Ela estava no banheiro fazia mais de meia hora e a aula estava quase na metade!As meninas do banheiro alegaram que nao a viram, mas a professora, nao satisfeita, decidiu chamar a inspetora para saber se ela vira a pobre cagona.

E la estava ela sentada no vaso, em cima da obra cheirosa, as três meninas, a professora de matemática, a servente e a inspetora da escola discutindo sobre seu paradeiro.O cheiro aumentava mais e mais, ela nao dera a descarga!O cheiro virou comentário.Estava fazendo muito calor naquele banheiro tao pequeno, ela precisava sair dali!A descarga, pelo amor de Deus!!!!

Foi quando uma das mulheres percebeu a origem do cheiro: a ultima cabine do banheiro.Ja viram seus pézinhos, filha, era a hora de se entregar.Descarga...ultima conferida...nada havia descido!E a agua começou a subir e subir...e o cheiro estava muito mais forte...a privada entupiu!A menina la dentro do banheiro, com a porta que agora tinha trancado de vez (de tanto que apertara a tranca na hora da confecção da obra), com a agua da privada transbordando, jorrando merda pra todos os cantos, com metade da escola na porta do reservado (sim, porque nessa altura do campeonato, ja tinha até o inspetor dentro do banheiro feminino, depois que interditaram por mal cheiro).A porta nao abria, o coco saia pela privada, a ânsia de vomito, a professora batendo na porta...Bate de fora, bate de dentro, grita, berra, a porta soltou!E, junto com a porta, escorrega-se a azarada e todo seu conteúdo originário do intestino...

E é assim que se fica exposto.Caga-se, limpa-se, descarga-se e paga-se vexame.

A menina nunca mais foi àquela escola.

P.S.:Reflexão originada enquanto eu curtia uma prisão de ventre no banheiro publico.Porque todos tem prisão de ventre.E porque todos ja passaram por um vexame semelhante.Em momento algum disse que seria um post limpo, a nao ser que vc já tenha visitado um banheiro publico limpo.Particularmente, nunca fui a um...

Um comentário:

  1. Esse post mostra a podridão humana.. literalmente! =p

    kkkkkkkkkk

    ResponderExcluir

depoimento: